quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Olhem o que parou o Recife ontem

Salve simpatia!

Olha aí gente...uma árvore caiu numa rua ontem, na zona norte do Recife. Do jeito que o trânsito vai por aqui, se um alfinete cair num lugar muito congestionado, já é motivo pra parar tudo, imaginem uma árvore. Minha senhora, por exemplo, levou quase duas horas pra fazer o trajeto do trabalho para casa. Uma distância que normalmente seria feita em 15, 20 minutos.

Abaixo a capa do Diário de Pernambuco de hoje e um vídeo, sobre o que aconteceu. A capa do DP inclusive está bem didática.






video

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Projeto pode tirar a vende de álcool das ruas

Saiu no Diário de Pernambuco de hoje. Vai ser polêmico. Mas EU, como cidadão, acho louvável.


video


Venda de álcool com dias contados

Projeto de lei da vereadora Marília Arraes (PSB) proíbe acomercialização de bebidas pela cidade


Projeto de lei prevê mais fiscalização na venda de bebidas alcoólicas a menores de idade e propõe a proibição da venda e do consumo em vias públicas
Cerco fechado para a venda e consumo de bebidas alcoólicas nas vias públicas do Recife e também para a compra de etílicos por menores de 18 anos. Somado a isso mais rigor para proibir o acesso de crianças e adolescentes a bares e casas noturnas e a redução do horário de funcionamento de estabelecimentos quecomercializam bebidas aos domingos. Essas são propostas de três projetos de lei que devem gerarpolêmicas. A autora é a vereadora Marília Arraes (PSB). Os projetos estão tramitando na Câmara Municipal. A parlamentar defende que as medidas ajudarão na redução de crimes em que o álcool aparece como um dos principaisfatores para as ações.

O Projeto de Lei 130/2011 propõe que seja proibida a venda e o consumo de bebidas em vias públicas, como ruas, calçadas, praças e feiras das 18h às 6h, de segunda a segunda. A medida seria uma tentativa de reduzir o consumo de álcool pelos jovens ao sair de escolas e trabalho, por exemplo, evitando, assim, atos de violência. A vereadora espera ter a parceria do governo do estado dentro do Programa Pacto pela Vida, de redução de crimes letais. “Essa limitação entraria em consonância com os programas do governo na redução da criminalidade e seria a primeira medida por parte do município nesse sentido”, disse Marília Arraes. Segundo ela, também haveria obenefíco do reordenamento urbano na cidade.

Já o PL 128/2011, propõe novas ações para aumentar a fiscalização de menores em boates e casas deespetáculos. O texto sugere maior rigor na autorização da entrada de crianças e adolescentes e a entrega de dispositivos que possam identificar os menores. “A ideia é que câmeras sejam instaladas nos acessos desses estabelecimentos e também na parte interna”, explicou a vereadora. A punição para quem descumprir a lei também será mais rígida. O proprietário que não atender às normas, se aprovadas, poderá perder o alvará de funcionamento. Aos novos bares e similares fica ainda a obrigação de construção em um raio mínimo de 200 metros de distância de instituições de ensino e saúde.
De acordo com dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), ano passado em 17% dos homicídios que ocorreram no estado, vítima e agressor estavam alcoolizados. “A lei não valerá em hospedarias e áreas turísticas regulamentadas pela Prefeitura”, disse. (KleberNunes)

Saiba mais

PL 130/2011

Proibição de bebidas alcóolicas em vias públicas das 18 às 6h. Exceto eventos especiais mediante a autorização da Prefeitura, períodos festivos e datas comemorativas

PL 129/2011

Limita para 22h, com uma margem de tolerância de 30 min, o funcionamento de bares e similares aos domingos.Exceto hospedarias e áreas turísticas

O Poder Executivo poderá conceder alvará especial para boates e casas de espetáculos, desde que o local atenda a pré-requisitos de sistemas de segurança

Implantação de câmeras de vigilância na entrada e no interior de bares e similares

Contratação de empresas especializadas em segurança para boates e casas de espetáculos

PL 128/2011

Aumentar a fiscalização e a punição ao acesso de menores de 18 anos a casas noturnas e bares

Limitar a venda de bebidas alcóolicas a maiores de 18 anos nesses estabelecimentos

Menores de 18 anos só poderão frequentar esses lugares se o evento for autorizado pelo Poder Executivo, se o local não comercializar bebida alcóolica ou, ainda, se os jovens estiverem com algum tipo de dispositivo de identificação visível

Novos bares e similares só poderão ser construídos a uma distância mínima de 200 metros de unidades de ensino e saúde

Penalidades

Cassação do alvará
Fechamento do estabelecimento
Multas

domingo, 14 de agosto de 2011

Capa dos jornais do Brasil neste domingo, 14 de agosto, Dia dos Pais


Capa dos jornais do Brasil neste domingo, 14 de agosto, Dia dos Pais.























terça-feira, 26 de julho de 2011

A resposta do Detran

Recebi hoje a resposta formal do Detran, sobre o fato ocorrido . Segue abaixo. Logo depois minha tréplica sobre o caso.

----------------------------------------------------------------------------------------------

Conforme comprovamos e expliquei pessoalmente, de fato o veículo não estava com o Licenciamento de 2011 em ordem. O Licenciamento é composto das seguintes taxas
  • Licenciamento
  • Corpo de Bombeiros
  • DPVAT/ Seguro obrigatório
  • IPVA
  • Multas, caso hajam

No caso do veículo , os valores referentes à taxa de licenciamento, Corpo de Bombeiros e as multas referentes a 2010 estavam em aberto, conforme extrato retirado aqui e que te envio em anexo. Como você poderá ver, o valor em aberto era de R$ 1.134,58 destrinchados da seguinte forma

Multa vencida em 09.08.2010

Multa vencida em 14.06.2010

Bombeiros – vencido em 03.03.2011

Licenciamento – vencido em 03.03.2011

A orientação era a de que o pagamento do licenciamento, que é outra infração, fosse cobrada normalmente. Sem entrar no mérito da forma como foi a abordagem do agente, devo lhe dizer que ele seguiu a lei à risca: a infração por falta de licenciamento prevê reboque, bem como a recusa em se submeter o teste do bafômetro prevê o recolhimento da CNH.

ntão, desde já eu me desculpo em nome da empresa por qualquer eventual constrangimento pelo qual você considera que passou, mas ao perguntar porque a motorista havia se recusado a se submeter ao teste, ela disse que não o tinha feito porque estava muito chateada. Ela também me informou que o agente deu autorização para buscar os comprovantes em casa, desde que fosse de táxi. Ainda assim, como você vê, o veículo teria sido apreendido pela falta do licenciamento.

Você afirma que:

1) “A central informou que constava sim o atraso no pagamento de licenciamento. Só que não estava, estávamos em dia com nossas obrigações junto ao Detran-PE.”

2) “Mesmo informando isso e pedindo para ir pegar o tal documento em casa, porque os funcionários do Detran-PE não tiveram a competência de registrar no sistema o pagamento, foi negado”

Tudo isso pra te dizer que somos todos passíveis de falhas e – mais uma vez sem entrar no mérito do atendimento – pelo menos estas informações do seu texto são infundadas.

Assessoria do Detran

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Depois das explicações encaminhadas pelo Detran, venho explicar o que aconteceu antes da blitz do sábado, dia 23. Em janeiro, procuramos o Detran do Tacaruna para saber o fato de termos duas multas abertas, se isso poderia impedir que usássemos o carro. A resposta do funcionário foi que não. A multa nada impediria o recebimento do novo documento ou impedimento de andarmos com o carro.

Depois de seis meses, e sem receber o documento novo, voltamos ao Detran do Tacaruna e questionamos mais uma vez o fato. Mais uma vez fomos informados de que não haveria problema pagarmos a multar com atraso.

Volto a falar. Se em algum momento o funcionário do Detran explicasse porque nosso carro estava sendo rebocado, seria mais fácil e toda essa confusão estaria esclarecida. Em momento nenhum esse senhor, que se identificou apenas como Santos e dizendo que "minha matrícula vai na multa" , informou absolutamente nada. Disse apenas que "o licenciamento estava atrasado e o carro vai ser rebocado" , sem explicar nenhum detalhe inclusive se negando a falar conosco, se trancando no carro.

Registro mais uma vez: despreparo do orgão. Como foram questionados duas vezes e informaram a mesma coisa, se na rua a informação do agente é outra? Como podemos agir com isso?

Entendo a resposta do Detran, o pedido de desculpas pela ação do agente. Mas ainda assim, recorremos da ação do sábado 23 e provavelmente deveremos entrar com uma queixa oficial na corregedoria e na ouvidoria do orgão. Somente não entendemos outro fato: ao recorrer no Detran, descobrimos que quem julga cada recurso é o próprio Detran. Fica a pergunta: será que o orgão vai decidir algo contra ele mesmo?

Queria deixar registrado também a competência, delicadeza, educação e atenção dispensada pela assessoria do Detran-PE. Registrar também que todas as pendências nomeadas pelo Detran foram pagas nesta segunda-feira e que o carro já está conosco.


domingo, 24 de julho de 2011

CONSTRANGIMENTO

Eu nunca imaginei o quanto era forte o sentimento de constrangimento público. Lembro de um caso com um grande amigo, que durante um jantar de aniversário com a família num restaurante importante do Recife, foi “presenteado” com a presença de um rato enorme. O constrangimento foi maior ainda pela descortesia que o gerente do local dispensou pra ele, quando foi reclamar. Eu não conhecia esse sentimento de uma forma tão forte até a madrugada do sábado passado, 23 de julho. Volta de um jantar em família com minha esposa, quando fomos parados numa blitz do Detran-PE numa rua de Boa Viagem.

Minha esposa, que estava dirigindo e não tinha consumido uma gota de bebida alcoólica, foi questionada para fazer o exame com bafômetro e acatou, saindo do veículo para fazer o tal exame. Antes os agentes solicitaram, via rádio, para a “central” deles que fosse verificado se havia alguma pendência do veículo. Foi aí que começou nosso tormento. A central informou que constava sim o atraso no pagamento de licenciamento. Só que não estava, estávamos em dia com nossas obrigações junto ao Detran-PE.

Mesmo informando isso e pedindo para ir pegar o tal documento em casa, porque os funcionários do Detran-PE não tiveram a competência de registrar no sistema o pagamento, foi negado. “O seu carro vai ser rebocado e ponto final”, informou um agente. Perguntei o nome dele , mas se negou e disse apenas que “meu nome é Santos e a minha matrícula vai na sua multa”, num tom de arrogância, desprezo, falta de educação e se trancando dentro de um carro do órgão. Enquanto preenchia a multa, trancado dentro do carro e sem querer nem conversar (FOTO ACIMA) , fomos testemunhas das ironias deste senhor. Por conta da incoerência e falta de tato no trato com os cidadãos, os agentes do Detran-PE impediram que nós pudéssemos sair de casa no final de semana, já que o carro foi levado para um galpão qualquer do Detran-PE .

Minha esposa ficou o resto do final de semana nervosa, chorando o tempo inteiro, raiva da maneira como fomos tratados, mesmo estando certos. Foi gasto dinheiro e tempo do Estado, dinheiro pago pelos cidadãos corretos e honestos como nós. Dinheiro que poderia ser investido na melhoria de algum serviço para a população. Tudo por conta da arrogância de um agente mal preparado, mal educado e por conta de um sistema falho do Estado de Pernambuco.

Espero que esse desabafo sirva de alerta para que o dinheiro das multas aplicadas, de forma “correta” , seja usado também para cursos de qualificação e reciclagem dos profissionais do Detran-PE, principalmente os que trabalham diretamente com o público. Os pernambucanos honestos merecem isso. Infelizmente, desta vez, teremos de buscar através de um processo por danos morais, constrangimento e calúnia através de um processo na Justiça. Podem ter certeza que vamos buscar.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Em vez de matar um leão por dia, aprenda a amar o seu

Outro dia, tive o privilégio de fazer algo que adoro: fui almoçar com um amigo, hoje chegando perto de seus 70 anos. Gosto disso. São raras as chances que temos de escutar suas histórias e absorver um pouco de sabedoria das pessoas que já passaram por grandes experiências nesta vida.

Depois de uma almoço longo, no qual falamos bem pouco de negócios mas muito sobre a vida, ele me perguntou sobre meus negócios. Contei um pouco do que estava fazendo e, meio sem querer, disse a ele: "Pois é. Empresário, hoje, tem de matar um leão por dia".

Sua resposta, rápida e afiada, foi: "Não mate seu leão. Você deveria mesmo era cuidar dele".

Fiquei surpreso com a resposta e ele provavelmente deve ter notado minha surpresa, pois me disse: "Deixe-me lhe contar uma história que quero compartilhar com você". Segue mais ou menos o que consegui lembrar da conversa:

"Pierre, existe um ditado popular antigo que diz que temos de "matar um leão por dia". E por muitos anos, eu acreditei nisso, e acordava todos os dias querendo encontrar o tal leão. A vida foi passando e muitas vezes me vi repetindo essa frase.

Quando cheguei aos 50 anos, meus negócios já tinham crescido e precisava trabalhar um pouco menos, mas sempre me lembrava do tal leão. Afinal, quem não se preocupa quando tem de matar um deles por dia?

Pois bem. Cheguei aos meus 60 e decidi que era hora de meus filhos começarem a tocar a firma. Mas qual não foi minha surpresa ao ver que nenhum dos três estava preparado! A cada desafio que enfrentavam, parecia que iam desmoronar emocionalmente. Para minha tristeza, tive de voltar à frente dos negócios, até conseguir contratar o Paulo, que hoje é nosso diretor geral.

Este "fracasso" me fez pensar muito. O que fiz de errado no meu plano de sucessão? Hoje, do alto dos meus quase 70 anos, eu tenho uma suspeita: a culpa foi do leão". Novamente, eu fiz cara de surpreso. O que o leão tinha a ver com a história?

Ele, olhando para o horizonte, como que tentando buscar um passado distante, me disse: "É. Pode ser que a culpa não seja cem por cento do leão, mas fica mais fácil justificar dessa forma. Porque, desde quando meus filhos eram pequenos, dei tudo para eles. Uma educação excelente, oportunidade de morar no exterior, estágio em empresas de amigos. Mas, ao dar tudo a eles, esqueci de dar um leão para cada, que era o mais importante.

Meu jovem, aprendi que somos o resultado de nossos desafios. Com grandes desafios, nos tornamos grandes. Com pequenos desafios, nos tornamos pequenos. Aprendi que, quanto mais bravo o leão, mais gratos temos de ser.

Por isso, aprendi a não só respeitar o leão, mas a admirá-lo e a gostar dele. Que a metáfora é importante, mas errônea: não devemos matar um leão por dia, mas sim cuidar do nosso. Porque o dia em que o leão, em nossas vidas morre, começamos a morrer junto com ele.."

Depois daquele dia, decidi aprender a amar o meu leão. E o que eram desafios se tornaram oportunidades. Para crescer, ser mais forte, e "me virar" nesta selva em que vivemos.
(Pierre Schurmann)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Manchetes triste sobre um dia trágico

Primeiras páginas dos jornais de hoje






MANCHETES/JORNAIS DO BRASIL

O Estado de S. Paulo (OESP)
Ministro dos Transportes já pede volta de obras e licitações

Jornal da Tarde (JT)
Escape da alta do seguro do carro

Folha de S.Paulo (FSP)
Sadia-Perdigão passa no Cade, mas 30% menor

Valor Econômico (VE)
Acordo salva fusão que criou BRF

O Globo (OG)
Cade aprova megafusão mas exige concorrência

Correio Braziliense (DF)
Esplanada vai virar garagem

Correio do Povo (RS)
Avião cai em Recife e mata 16 pessoas

Gazeta do Povo (PR)
Infraestrutura do país precisa de R$ 1 trilhão

Diário Catarinense (SC)
Com tumulto, lei do salário é aprovada

Correio Popular (Campinas)
Estado reforça investimento para modernizar o Amarais